INFORME JURÍDICO:JURÍDICO DO SINTECT-MA CONSEGUE LIMINAR QUE ASSEGURA CONTINUAÇÃO DO TRATAMENTO PARA MÃES DE TRABALHADORES


PUBLICADO EM 23 DE DEZEMBRO DE 2019

O jurídico do sindicato entrou com duas ações no sentido de resguardar aos dependentes (pais e mães) a continuação dos seus respectivos tratamentos médicos.

Em um dos casos, a Postal Saúde negou a continuação do tratamento para a mãe de um funcionário, diagnosticada com cirrose hepática, que já estava fazendo quimioterapia, devido ao quadro de carcinoma, sendo que a mesma já se encontra internada em UTI.

Na outra situação a mãe do empregado em tratamento continuado, teve seu atendimento negado para cobertura do procedimento de tratamento médico de osteoporose e osteopenia, que é necessário para a sua recuperação.

A negativa de ambos os procedimentos por parte da operadora do plano de saúde (Postal Saúde), baseia-se na decisão proferida pelo Superior do Trabalho, que definiu em 02/10/2019 novas regras para o Acordo Coletivo de Trabalho dos empregados, de modo a retirar os pais e mães dos empregados dos Correios da condição de dependência no plano de saúde.

Convém ressaltar, no entanto que a referida definição do TST assegurou a manutenção da dependência dos pais e mães nos casos de internações hospitalares até alta média, nos tratamentos continuados em regime ambulatorial e nas terapias domiciliares até o fim das sessões autorizadas e já iniciadas. Dessa forma, nestes casos seu direito encontra-se resguardado, sendo, portanto, ILEGAL privá-los do mesmo.

Além de tudo isso, é importante dizer que, a falta do tratamento adequado nos dois casos apresentados pode levar a danos irreparáveis, fato que irá prejudicar muito com que ambas tenham uma razoável qualidade de vida.

Diante dos fatos, foi concedida tutela de urgência em ambos os casos, determinando que a Postal Saúde no prazo de 72 horas desta intimação, autorize a cobertura do tratamento continuado das autoras pelos profissionais da medicina que as acompanham, enquanto durar o tratamento, sob pena de multa diária de R$ 1.000,00 (um mil reais), por atraso no cumprimento desta decisão.

Mais uma vitória do jurídico do SINTECT-MA, resguardando o direito a um tratamento digno aos pais e mães dos funcionários que se encontram em tratamento médico e que disso dependem para terem uma boa qualidade de vida.

 

Compartilhe agora com seus amigos

Notícias Relacionadas

veja também em nosso site

Campanha Salarial rodapé do post

Campanha Salarial rodapé do post