SINTECT-MA SE POSICIONA CONTRÁRIO À PRIVATIZAÇÃO DOS CORREIOS PELO GOVERNO BOLSONARO


PUBLICADO EM 19 DE ABRIL DE 2019

Antes de mais nada vale dizer que, empresa estatal não precisa dar lucro como uma empresa privada, mas sim cumprir sua função constitucional e para isso, como integrante da administração pública precisa de uma boa gestão para assim , movimentar a economia. O que claramente não vem acontecendo nos Correios nos últimos anos – Uma boa gestão!

Entre as justificativas do governo para a venda dos Correios estão o fato de que o modelo de negócio da empresa já não é atual, porém estrategicamente ela tem um alto valor, em especial devido ao crescimento do e-commerce.

É importante lembrar que sem as estatais, o impacto será grande na economia do país, com os Correios não será diferente.

A venda da ECT e de outras quase 100 empresas públicas tem sido defendida com entusiasmo pelo ministro da Economia, Paulo Guedes. Esse é o mesmo Paulo Guedes que foi investigado pelo MPF em 2015 devido a aportes de alto risco feitos pelo Postalis em um fundo criado por ele, o FIP BR Educacional.

O fato é que à revelia dos trabalhadores e trabalhadoras que são contrários à privatização da empresa, de acordo com o governo, só falta fatiar o bolo, dar preço às fatias e estudar como vender cada uma delas. Ao invés disso, o que deveria existir são melhorias nas condições de trabalho e emprego, controle estatal, valorização de salários e benefícios, melhorando assim a empresa para o bem do povo.

Com o passar dos anos, de escândalo em escândalo em que a empresa esteve envolvida, teve sua imagem desgastada diante da sociedade, vendendo ainda mais facilmente a ideia de que a solução é a sua privatização.

De lá pra cá foram PDIs, sucateamento, mensalidade no plano de saúde, adoecimento dos trabalhadores devido à sobrecarga de trabalho, falta de efetivo, insegurança nas agências do BP entre outros fatores que tentam mostrar que a privatização é a solução para todos esses problemas. Na verdade, já foi cogitada até mesmo a possibilidade de extinção da empresa pelo atual governo, como parte do discurso durante a campanha eleitoral.

O SINTECT-MA repudia essa atitude do governo em defender a venda dos Correios, por entender que ela representa retrocesso, perda de postos de trabalho, maior precarização, encarecimento dos serviços oferecidos, falta de acesso em alguns lugares mais distantes e perda para os trabalhadores, sociedade e para o país.

Nós enquanto diretoria continuaremos lutando em defesa do emprego dos trabalhadores, para que os Correios continuem como empresa estatal e patrimônio do Brasil.

 

NÃO DEIXAREMOS DE DEFENDER OS CORREIOS 100% PÚBLICO E DE QUALIDADE!!!

Notícias Relacionadas

veja também em nosso site