CORREIOS SERÁ OBRIGADO A PAGAR ADICIONAL DE INSALUBRIDADE E REALIZAR MELHORIAS NAS CONDIÇÕES DE TRABALHO NO CTCE


Publicada dia 02/03/2020 22:49

Tamanho Fonte:

PUBLICADO EM 02 DE MARÇO DE 2020

O SINTECT-MA ajuizou a presente ação civil pública devido ao fato de que as propostas de melhoria nas condições de trabalho do CTCE (Centro de Tratamento de Cartas e Encomendas), localizado no Tibiri, São Luís – MA, formuladas pela empresa aos trabalhadores, não foram devidamente cumpridas.

Segue a relação das mudanças requeridas pelos trabalhadores: A instalação de climatização; execução de projeto que acabe com a proliferação de pombos e fezes na unidade; manutenção dos bebedouros para uso de forma eficaz; participação dos trabalhadores na formação do layout da unidade; estudo de ambiente para verificação de agentes insalubres; fornecimento de fardamento e EPI (equipamento de proteção individual) de forma regular e periódica, bem como o pagamento do adicional de insalubridade a cada trabalhador a partir da data em que os mesmos foram obrigados a trabalhar em ambiente inadequado (a partir de 15/07/2017) até a data em que o ambiente se encontrar apto para o trabalho ou de forma definitiva, caso seja detectado que o ambiente é insalubre.

A empresa, no entanto afirmou que tem adotado medidas para adequar o ambiente de trabalho do referido CTCE às condições impostas por lei, através de dois laudos de insalubridade, o primeiro elaborado em setembro de 2018 e o segundo em agosto de 2019, contudo não mencionou qualquer providência tomada mediante o que foi colocado, o que pode representar uma iminente situação de risco à saúde dos trabalhadores.

Diante do que foi exposto, e por tudo mais que consta dos autos do processo, foi deferido o pedido de tutela de urgência requerido pelo SINTECT-MA para com a empresa, para determinar que esta no prazo de 30 dias:

1 – PAGUE adicional de insalubridade aos empregados especificados no laudo pericial (fls. 140 a153);

2 – PROVIDENCIE o estudo de viabilidade de climatização do CTCE;

3 – EXECUTE projeto que acabe com a proliferação de pombos e fezes na unidade;

4 – MANTENHA bebedouros eficazes no referido Centro de Tratamento de Cartas e Encomendas;

5 – PROPORCIONE a participação dos trabalhadores na formação do layout da unidade; e

6 – FORNEÇA fardamento e EPI (equipamento de proteção individual) de forma regular e periódica.

Em caso de descumprimento, incidirá multa no importe de R$ 5.000,00 (cinco mil reais) por item descumprido, acrescida de R$ 1.000,00 (um mil reais) por trabalhador lesado, incidente a cada violação, limitada a R$60.000,00, a ser revertido em favor do FAT – Fundo de Amparo ao Trabalhador.

 

Com informações do jurídico do SINTECT-MA

 

 

 

 

Compartilhe agora com seus amigos

Notícias Relacionadas

ECT DIVULGA DATA DE PAGAMENTO DE PLR

ECT DIVULGA DATA DE PAGAMENTO DE PLR

Após reunião extraordinária do Conselho de Administração dos Correios no dia 20/09, foi aprovado o pagamento da PLR 2021; os valores serão creditados no próximo dia 30 de setembro ...