GOVERNO E ECT NÃO DEIXARAM ALTERNATIVA A NÃO SER A LUTA!


PUBLICADO EM 09 DE SETEMBRO DE 2019

A direção da empresa se nega a negociar, quer acabar com o ACT, rebaixar direitos e salários e favorecer a privatização pretendida pelo governo. Os trabalhadores dos Correios estão numa encruzilhada histórica: ou lutam ou perdem o que conquistaram em anos de luta!

A intenção do governo e da direção da ECT está clara. É acabar com os benefícios da categoria. Por isso se negam a negociar o Acordo Coletivo. Nem com a prorrogação do Acordo e com o chamado do Tribunal Superior do Trabalho à negociação, a direção da empresa aceitou o diálogo. O próprio TST afirma isso quando em entrevista, o  Juiz Rogério Meira, auxiliar da Vice-Presidência do TST, que estava mediando as negociações entre ECT e as Federações disse.

Eles querem impor uma derrota histórica à categoria! Reduzir radicalmente os salários e os benefícios. Deixar a mão de obra ecetista próxima da escravidão! Tudo isso para privatizar os Correios. Entregar o setor postal a empresários loucos por lucro. Jogar no lixo o atendimento a todos os cidadãos, a segurança nacional envolvida nas operações, a integração nacional promovida pelos Correios!

Se apenas 324 municípios dão lucro, como ficará a população dos outros 5.356? Sem serviço postal? As empresas privadas NUNCA farão a compensação financeira que a estatal faz?

Os trabalhadores dos Correios estão num momento histórico grave. O governo quer vender todas as estatais e acabar com os serviços públicos para entregar tudo às empresas privadas. Quer acabar com os direitos e a justiça trabalhista para presentear os empresários com trabalhadores mais baratos. É um tsunami que deixará as relações de trabalho arrasadas no Brasil, e os trabalhadores na miséria.

O que fazer? Ficar parados? Ou reagir? Deixar levarem tudo? Ou defender nossos direitos sociais, nossa dignidade, nossas conquistas, o sustento das nossas famílias?

Infelizmente não restou alternativa. Para manter nosso Acordo Coletivo e repor pelo menos a inflação aos salários, vamos ter que lutar. E não adianta qualquer luta. Tem que ser todo mundo junto! Só unidos nacionalmente, decididos e dispostos a lutar, a vitória será possível!

A diretoria da FINDECT reforça o chamado para os trabalhadores e trabalhadoras lotarem as assembleias de todo país e mostrar a força e mobilização da categoria em defesa de seus direitos.

Vamos à luta Unidos e Mobilizados, até a vitória!!!

Fonte: FINDECT

Compartilhe agora com seus amigos

Notícias Relacionadas

veja também em nosso site

Campanha Salarial rodapé do post

Campanha Salarial rodapé do post