O Secretário Geral do SINTECT-MA, Márcio Martins participou de reunião no gabinete  do  Deputado Zé Carlos nesta quarta feira (21) em Brasília. “O deputado tem sempre se mostrado um apoiador das lutas dos trabalhadores dos Correios, inclusive fazendo uso da tribuna da Casa legislativa para denunciar o sucateamento não apenas dos Correios, mas também de outras empresas, a exemplo da Eletrobras, Caixa Econômica e Infraero”, disse.

Vale lembrar que o Deputado sempre tem sido acessível e  tem deixado as portas abertas para que haja esse diálogo.

Na ocasião conversaram sobre a situação enfrentada pelos trabalhadores dos Correios neste momento, no que se refere principalmente ao Plano de Saúde entre outros assuntos.

 

O Diretor da FINDECT na pasta de Postal e logística  e representante dos trabalhadores na mesa paritária de saúde, Wilson Araújo participou de plenária no último sábado (17) em São Paulo. Na ocasião, foi falado entre outros assuntos sobre o  atual problema do plano de saúde (que tem sofrido fortes ataques por parte da empresa a fim de acabar com ele), a luta contra a terceirização dos Correios, contra a extinção dos OTTS, os ataques de Temer aos trabalhadores e as mobilizações a serem realizadas contra esses ataques da empresa  e do governo.

Em relação ao plano de saúde, não é justo de forma alguma, que um importante benefício conquistado às custas de muita luta pelos trabalhadores, que atende também a  suas famílias, seja retirado. E com os baixos salários dos trabalhadores, é impossível arcar com os custos de  uma mensalidade. Isso representaria redução salarial para os trabalhadores, isso sem falar na qualidade de vida dele e de seus dependentes.

A empresa, em se tratando dos direito do trabalhadores e dos seus deveres para com ele, sempre usará o argumento de crise financeira nos Correios, buscando para si mesma uma base que justifique a mudança de regras e a retirada de direitos, e defenderem que a atual “crise financeira da empresa” se deve aos gastos com o plano de saúde e não à má gestão atual e às passadas.

Por isso fica claro que Guilherme Campos é um pau mandado para fazer nos Correios o que o governo que ele representa está fazendo no país, que é roubar direitos dos trabalhadores para aumentar lucros empresariais.

Os representantes da comissão paritária de saúde, que também participaram da plenária Silvana Azeredo e Manoel, falaram sobre o papel que exerceram na análise do convênio médico dos trabalhadores e que não houve nenhum encaminhamento por parte da empresa, mediante o que foi debatido entre as partes, o que só comprova o real interesse da direção da empresa em acabar com esse direito dos trabalhadores. vale lembrar, que se isso acontecer,  94.300 Ecetistas que ganham até R$ 3.500,00 não terão condições de pagar assistência médica para si e seus familiares.

Nesse momento mais do que nunca, se faz necessário a mobilização dos trabalhadores no sentido de garantir os seus direitos até a data base, com vistas à campanha salarial da categoria e  realizar uma grande luta para defender e preservar esse direito, dirigida por uma direção sindical responsável e comprometida com os trabalhadores, que saiba orientar e conduzir a campanha com diretrizes acertadas.

Com informações do SINTECT-SP

 

Na manhã desta sexta-feira (16), o SINTECT-MA ficou ciente da falta de água nas unidades e CDDs pela cidade de São Luís. Durante toda a manhã em uma ação emergencial, foram distribuídos pelo Sindicato  mais de 20 galões de água mineral em várias unidades espalhadas pela capital, incluindo a Superintendência regional. Outras unidades como o CEE, CDD Anil, CDD São Luís, AC Vinhais, AC Cohab e áreas administrativas entre outros.

Durante a entrega, enquanto era feita a troca dos galões foi constatado que além do fato de o contrato de fornecimento de água não ter sido renovado em tempo hábil deixando vários trabalhadores com sede, a maior parte dos galões estavam com o prazo de envasamento vencido, inclusive alguns com fabricação de 2010 e vencimento 2013 e ainda estavam sendo reutilizados pelos fornecedores.

Vale lembrar que o prazo para utilização desses galões  é de até  3 anos. Isso claramente indica que esses trabalhadores provavelmente não estavam consumindo água de qualidade  nem se sabe há quanto tempo.

É dever dos Correios oferecer um ambiente saudável afim de que os trabalhadores exerçam suas atividades com segurança e a qualidade que a empresa espera.

É inadmissível que devido à negligência dos gestores/empresa, os trabalhadores sejam penalizados mais uma vez.

O SINTECT-MA mais uma vez se mostra indignado com uma situação como essa, que com certeza poderia ter sido evitada antes que chegasse a esse ponto.

CEE
CDD Anil

A diretoria do SINTECT-MA, mesmo durante o carnaval, vem acompanhando os últimos acontecimentos em relação ao incêndio no Centro de tratamento dos Correios e presta sua solidariedade à sociedade do Ceará devido à destruição dos objetos e encomendas nesse incidente tão desagradável.

Alertamos que o risco de incêndio no CTCE MA não é diferente do resto do país,  o prédio próprio instalado no Tirirical se encontra abandonado mesmo sendo localizado num dos melhores pontos estratégicos do estado, pela falta de sistema de prevenção e combate a incêndios.

O Sindicato por várias vezes buscou o corpo de bombeiros para tentar sensibilizar a empresa a executar as reformas devidas e novamente roga para que os Correios volte a utilizar seu prédio devidamente estruturado ao invés de continuar pagando altos aluguéis. O corpo de bombeiros chegou a interditar o prédio devido às condições insalubres em que se encontrava, inclusive estruturalmente.

É de  total interesse do Sindicato que os trabalhadores realizem suas atividades diárias em um ambiente seguro e salubre, a fim de evitar o seu adoecimento e outros transtornos no futuro.

Na reunião com o Ministro do TST, relator do processo de dissídio, Aloysio Corrêa, nesta quinta-feira (8), a FINDECT apresentou informações sobre a real situação do Plano de assistência médica da categoria, e defendeu a importância da manutenção desta conquista. A Federação argumenta que o acordo Coletivo está em plena vigência, até o dia 31 de julho de 2018, e garante a manutenção dos direitos e benefícios historicamente conquistados pelos Trabalhadores e Trabalhadoras Ecetistas.

“Nós [Ecetistas] conquistamos, por meio de lutas, o direito à um plano de saúde que nos garanta dignidade de vida, e também a nossos familiares. Não foi um presente, mas uma vitória diante das condições que os Correios ofereciam aos seus Trabalhadores. Não vamos permitir que a categoria pague por erros de gestão e indicações políticas malfeitas. O jurídico está trabalhando dia e noite, mas é a mobilização dos mais de 100 mil Trabalhadores que vai conseguir mostrar a importância da assistência médica para os Ministros do TST”, defende o Presidente da FINDECT, José Aparecido Gimenes Gandara.

AUDIÊNCIA DE CONCILIAÇÃO TEM DATA DEFINIDA:

Após a intensa defesa da FINDECT na reunião com o Ministro Aloysio Corrêa, foi publicada a intimação das partes do processo para a audiência de conciliação, no dia 22 de fevereiro, às 10h. Por isso, a Federação reforça o chamado para os Sindicatos filiados, e dirigentes sindicais, para que mobilizem toda a categoria Ecetista e acompanhem, juntos, todas as etapas do processo.

O vice-Presidente da FINDECT, Elias Cesário (Diviza), defende as garantias do Acordo Coletivo de Trabalho.

“Nós apresentamos a visão do trabalhador sobre a discussão do plano de saúde da categoria. E defendemos que o ACT está valendo, e tem que ser respeitado! Essa é a nossa luta, é a nossa bandeira: Nenhum direito ou benefício a menos! E tenho certeza que os Trabalhadores Ecetistas de São Paulo, e de todo o restante do Brasil, vão lutar, até a vitória, na manutenção da assistência médica!”

Fonte: FINDECT

A reunião aconteceu na tarde desta quinta-feira (08) na sede da empresa, em São Luís. Na ocasião estiveram presentes os diretores do SINTECT-MA Cássio Coelho, Wedson Soares e Ivanildo, o representante da FINDECT no Maranhão Wilson Araújo, o VIGEP (Vice presidente de Gestão de Pessoas) e  gestores da SE/MA.

Na manhã de quinta, o VIGEP  fez algumas visitas, entre elas ao prédio do Tirirical e foi falado dos planos que a empresa tem para essa instalação especificamente, que seriam de reformá-lo para abrigar mais de uma área da empresa (que atualmente funcionam em outras localidades) visando assim, fazer um uso mais  proveitoso da área. O sindicato exige que (diferentemente do que aconteceu no CTCE) o prédio seja devidamente adequado e  climatizado, afim de que os mesmos erros não se repitam.

MANTA TÉRMICA CTCE E AR CONDICIONADOS CDDs

Após cobrança do sindicato devido à demora na resolução do projeto da manta térmica que será colocada no CTCE  e da licitação para a aquisição dos ar condicionados dos CDDs, o VIGEP reforçou que estão em andamento.

MANUTENÇÃO DE VEÍCULOS

Com relação à manutenção de veículos, que tem sido uma das maiores reclamações dos trabalhadores em São Luís e nos interiores, ocorre que estes ficaram muito tempo sem a manutenção devida, o que agravou bastante a situação. Foi colocado que já existe uma proposta a ser estudada, de que esses veículos sejam leiloados e o valor adquirido por eles (que ficaria na DR) seja utilizado para a aquisição de novos, a partir de licitação.

FECHAMENTO DE AGÊNCIAS PAGAS POR TCD

Foi falado na reunião sobre cerca de 20 agências previstas pra fechar, porque têm sido pagas por TCD (Termo de Confissão de Dívida) e que os donos dos imóveis não têm documentos para legalizar (alvará).  Questionamos o que vai acontecer com os trabalhadores  a população dessas localidades e não obtivemos resposta por parte da empresa.

EXTINÇÃO DO CARGO DE OTTs E REENQUADRAMENTO

Sobre a extinção dos OTTs ficou claro que vai ser ampliado o reenquadramento para outras atividades, como por exemplo a de carteiro, que está em déficit em todo o país. Fomos contra porque isso só aumenta a terceirização e inviabiliza a realização de concurso público.

PONTO ELETRÔNICO

Ponto eletrônico foi outro assunto abordado na reunião, da sua implantação  para TODAS as áreas da empresa e que inclusive já existem 3 processos judiciais nesse sentido. O sindicato discordou dessa posição da empresa, por não estar no ACT e em nenhum momento foi consultado quanto a este assunto.

USO DE SMARTFHONES PELOS CARTEIROS

Os aparelhos já se encontram na SE/MA e em breve devem ser disponibilizados para uso nas atividades para a qual foram implantados. Ou seja, o Maranhão não ficará de fora do uso dos aparelhos como ferramenta de trabalho.

PARCERIA COM PREFEITURAS

Está em estudo pelo jurídico da empresa poder solicitar parceria junto às prefeituras em algumas localidades para receber funcionários cedidos para as Agências. A ideia da empresa é avançar nesses estudos, visando diminuir custos. O Sindicato discorda dessa prática e reforça de que é necessário que seja feito concurso público.

PARCERIA EMPRESA AÉREA AZUL

Existe potencial para economia na parceria com a Azul, o que vai economizar 200 milhões logo no primeiro momento.Entendemos enquanto Sindicato, que o que deve haver é o combate a extravio e que isso sim deveria ser prioridade. 

HORÁRIO DE TRABALHO NA QUARTA DE CINZAS

Na questão do horário de Carnaval, a empresa se mostrou pouco flexível quanto a liberar os funcionários na manhã de quarta como vinha acontecendo até o ano passado e ainda afirmou que, de acordo com o DOU (Diário Oficial da União), TODOS os dias são ponto facultativo, ficando portanto a critério da empresa dar ou não folga. Portanto, apesar dos esforços do Sindicato no sentido de conseguir a liberação dos trabalhadores na manhã de quarta, a empresa foi irredutível em dizer não aceitar dar este meio turno como folga. Nesta Quarta, portanto,  o horário de trabalho será normal. 

O SINTECT-MA já enviou ofício à empresa afirmando que os prejuízos que forem causados aos trabalhadores serão de responsabilidades exclusiva de quem deu a ordem para que não fosse aplicado folga no ponto facultativo.

Agradecemos a vinda e disponibilidade do VIGEP Heli Siqueira em vir até aqui afim de mantermos um diálogo aberto na busca de melhorias para os trabalhadores e trabalhadoras dos Correios no Maranhão e pela atenção que temos tido na busca de resolução dos problemas na regional.

DIRETORIA COLEGIADA DO SINTECT-MA E FINDECT

 

 

1. AGÊNCIAS DE CORREIOS E CENTROS DE SERVIÇOS TELEMÁTICOS

Dia 10/02/2018 (sábado): Funcionamento normal das agências que trabalham aos sábados.

Dias 11/02/2018 (domingo), 12/02/2018 (segunda-feira) e 13/02/2018 (terça-feira): Não haverá funcionamento na SE/MA.

Dia 14/02/2018 (quarta-feira): Funcionamento normal.

 OBSERVAÇÕES:

A distribuição nas Agências deve seguir o mesmo horário de funcionamento do atendimento.

Os horários definidos para o funcionamento das agências se aplicam a toda Rede de Atendimento (AC, ACF, AGF, ACC, AF) com e sem distribuição.

Nos dias 09, 10, 11, 12, e 13/02/2018 não haverá captação/postagem dos serviços SEDEX 10, SEDEX 12, SEDEX Hoje e SEDEX Mundi. Não haverá prestação dos serviços Disque Coleta e Logística Reversa Domiciliária nos dias 12 e 13/02/2018 e 14/02/2018. Logística reversa postado em agências permanecerá com o fluxo normal.

Os clientes de malote com coleta/entrega interna, com frequência na segunda e terça-feira, deverão ser orientados a postarem seus malotes antecipadamente na sexta-feira (09/02/2018) ou no sábado (10/02/2018) para aqueles que possuem frequência nesse dia.

2. CENTROS DE TRATAMENTO – CTC, CTCE, CTE e GCCAP

Dia 10/02/2018 (sábado): As atividades de importação e de exportação deverão funcionar em regime normal de sábado, de modo a garantir o tratamento e encaminhamento de toda carga.

Dias 11/02/2018 (domingo), 12/02/2018 (segunda-feira) e 13/02/2018 (terça-feira): Não haverá atividade de tratamento. Funcionamento em regime de plantão somente com efetivo necessário para atendimento das linhas de transporte programadas.

Dia 14/02/2018 (quarta-feira): Na madrugada de terça para quarta-feira as atividades e o efetivo poderão ser idênticos ao que se pratica nas madrugadas de domingo para segunda-feira, objetivando o tratamento da carga de importação.

Os demais turnos da quarta-feira funcionarão normalmente.

3. CENTROS DE TRANSPORTE OPERACIONAL – CTO

Dia 10/02/2018 (sábado): Funcionamento normal de sábado.

Dias 11/02/2018 (domingo), 12/02/2018 (segunda-feira) e 13/02/2018 (terça-feira): Funcionamento em regime de plantão para atendimento das linhas de transporte programadas, se houver necessidade.

Dia 14/02/2018 (quarta-feira): Funcionamento em horário normal.

 4. UNIDADES DE DISTRIBUIÇÃO – CDD e CEE

Dia 10/02/2018 (sábado): Funcionamento normal de sábado.

Dias 11/02/2018 (domingo), 12/02/2018 (segunda-feira) e 13/02/2018 (terça-feira): As unidades de distribuição não funcionarão.

Não haverá prestação dos serviços SEDEX 10, SEDEX 12, SEDEX Hoje, Disque Coleta e Logística Reversa Domiciliária.

Dia 14/02/2018 (quarta-feira): Funcionamento em horário normal.

OBSERVAÇÕES:

As coletas de Malote de 12/02 (segunda-feira) e 13/02 (terça-feira) deverão ser antecipadas para 09/02 (sexta-feira), ou 10/02 (sábado) se o percurso tiver coleta prevista no sábado.

Os malotes coletados em 09/02 (sexta-feira) e 10/02 (sábado), com previsão de entrega em 12/02 (segunda-feira) ou 13/02 (terça-feira), serão entregues somente em 14/02 (quarta-feira).

Fonte: Ascom Correios SE/MA

O DEPARTAMENTO JURÍDICO DA FINDECT TRABALHANDO DE FORMA INTENSA, APRESENTOU AS SUAS ARGUMENTAÇÕES EM DEFESA DA CATEGORIA NO TST REFERENTE AO JULGAMENTO DO PLANO DE SAÚDE.

Argumentando de forma contundente, a FINDECT têm entendimento que nosso acordo coletivo está em plena vigência, não cabendo nenhuma discussão referente a mudanças nas cláusulas do ACT 2017/2018.

“O prazo para a suscitada entregar a sua defesa não tinha se esgotado, não sendo comum ir direto para o julgamento conforme estava previsto. Dessa forma, o departamento jurídico da FINDECT agiu com rapidez, e o TST acatou as referidas argumentações para que fosse retirado da pauta da ordem do dia”. afirmou o advogado da FINDECT, Hudson Marcelo.

Acompanhe o site da FINDECT e dos sindicatos filiados para maiores informações sobre a luta em defesa do plano de saúde.

Findect e SINTET-MA em defesa dos direitos da categoria ecetista

Fonte: FINDECT

Desde o lançamento do calendário de atividades do TST para o ano de 2018 a equipe jurídica e a comissão de trabalhadores para discussão do Plano de Saúde na FINDECT têm preparado a melhor forma de defesa de nossa categoria. Por isso, não nos foi espanto termos visto logo na primeira sessão do ano no TST que trata de dissídios coletivos (SDC) a confirmação de que no dia 19 haverá julgamento desta ação do plano de saúde, assim como ocorreu por exemplo com a “rapidez de julgamento” do ex presidente Lula, que também foi julgado na primeira sessão do ano, no TRF 4 Curitiba.

A equipe jurídica da FINDECT em sintonia com os demais diretores da federação não perderam prazo algum judicial. Acredito que foram usados os argumentos corretos na defesa dos trabalhadores e devido à grande qualidade técnica dos advogados envolvidos, entendo que não há argumento técnico melhor do que o apresentado no processo. Juridicamente os trabalhadores estão muito bem representados.

Até lá, cabe a cada sindicato discutir com os trabalhadores sobre como vamos agir diante deste julgamento pois não é uma atitude sensata se insurgir contra o judiciário. Infelizmente, quando os próprios juízes observaram os trabalhadores em greve por causa do plano de saúde (na greve dos 43 dias em 2014 por pequena parte dos funcionários), os ministros além de causarem graves perdas aos trabalhadores ainda consolidaram toda a maléfica criação da Postal Saúde, com o argumento de que a greve era contra a autoridade do judiciário. Temos o feriado de Carnaval que na prática começa dia 10 e termina dia 13, e em alguns lugares dia 14 e isso diminui o tempo de debate com a categoria. Ter um desafio tão difícil pela frente não significa que devemos aceitar qualquer coisa que vier do judiciário sem mostrar nossa indignação.

Dia 19, por coincidência ou não, também está prevista a votação da reforma na previdência que vai destruir a aposentadoria de muita gente trabalhadora como os ECTistas e manter todos os privilégios dos que já ganham muito dinheiro. Esta votação é tão importante de ser combatida como a tentativa de privatização do Correios, a extinção dos OTTs, a extinção do diferencial de mercado, a ausência de concurso público, etc.

Então, caso os trabalhadores queiram mesmo dizer aos seus sindicatos que dia 19 é dia de luta, motivos não faltam.

Wilson Araújo, Diretor FINDECT

Eles alertaram a PF sobre a “grave situação de desequilíbrio financeiro” do Postalis. Acabaram penalizados com o aumento da contribuição

Documentos apensados à investigação da Polícia Federal sobre irregularidades no Instituto de Seguridade Social dos Correios e Telégrafos, o Postalis, mostram que a Associação dos Profissionais dos Correios (Adcap) cobrou do então diretor-geral da PF, Leandro Daiello, em janeiro de 2015, providências acerca da “grave situação de desequilíbrio financeiro” do fundo de pensão.

A megaoperação Pausare foi deflagrada na quinta-feira (1º/2), contra a suposta atuação de organização criminosa especializada no desvio de recursos previdenciários. O esforço concentrado vai durar 48 horas, com atuação no Distrito Federal, São Paulo, Rio de Janeiro e Alagoas.

A papelada à qual o Metrópoles teve acesso contém a reclamação feita à Polícia Federal, que, à época, já investigava a situação. “Informamos que até o momento não tivemos conhecimento de nenhuma providência efetiva da Superintendência Nacional de Previdência Complementar (Previc), apenas a informação de que estariam fiscalizando. Não houve intervenção, não houve condenações nem responsabilizações”, escreveu, na ocasião, Maria Inês Capelli, então presidente em exercício da associação.

A Previc só veio a intervir no Postalis em outubro de 2017, devido ao “descumprimento de normas relacionadas à contabilização de reservas técnicas e aplicação de recursos”. Segundo a PF, a má gestão de tais importâncias é responsável pelo deficit acumulado no fundo de Previdência, cerca de R$ 6 bilhões. Isso exigiu que os Correios e os funcionários da estatal tivessem de aumentar as contribuições extras, para equacionar o rombo.

Dois meses depois do apelo à PF, a Adcap bateu à porta do então ministro das Comunicações, Ricardo Berzoini. Em carta ao titular da pasta, a associação pediu o apoio dele e informava sobre o enorme aumento compulsório na contribuição dos empregados.

A partir de abril de 2015, os servidores vinculados ao plano de benefício definido do Postalis começaram a contribuir, compulsoriamente, com 25,58% sobre os benefícios saldados. Para os aposentados, a conta foi ainda mais amarga: 34,98%. Descontos que devem ser aplicados por até 15 anos e meio. “As causas desse vigoroso confisco nos salários dos empregos em atividade ou dos benefícios dos aposentados e para a empresa pública são decorrentes, em grande monta, dos resultados negativos nos investimentos do instituto de Previdência dos Correios, o Postalis”, escreveu a Adcap.

Megaoperação
O relatório da PF garantiu autorização à 10ª Vara Federal em Brasília para a realização da Operação Pausare. Ela se baseia em um conjunto de auditorias de órgãos de controle externo encaminhado ao Ministério Público Federal e que indica má gestão, irregularidades e improbidade na aplicação dos recursos do Postalis. A Polícia Federal se concentra nas implicações criminais da atuação dos envolvidos. No total, 62 equipes da corporação cumprirão, ao longo do trabalho, mais de 100 mandados judiciais.

Entre os alvos, estão o lobista Milton Lyra, que, segundo a Procuradoria-Geral da República (PGR), estaria envolvido em operações financeiras milionárias feitas pelo Postalis com a compra de papéis de empresas de fachada. O ex-presidente do Postalis Alexej Predtechensky, o Russo, também está na mira dos federais. Ele geriu o fundo de pensão entre 2006 e 2012, e seria ligado ao ex-ministro de Minas e Energia e atual senador Edison Lobão (MDB-MA). Lyra nega as acusações.

Os policiais federais foram até a casa do atual presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Paulo Rabello de Castro, no Rio de Janeiro. Ele foi um dos fundadores e atuou na empresa SR Rating, investigada na operação, antes de assumir o comando do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e, depois, o do BNDES.

Ao saber que havia um mandado de busca e apreensão sendo cumprido em sua residência carioca, Rabello de Castro, então em Brasília, apresentou-se para depor na sede da corporação na capital federal.

Fonte: Metrópoles